800 007 970 (Gratuito para españa)
658 598 996
·WhatsApp·

18 may 2015

FORMAR NADADORES. UM PROCESSO A LONGO PRAZO

/
Enviado por
/
Comentarios0


ISBN: 978-972-21-1784-5
Editorial: EDITORIAL CAMINHO
Sinopsis: Formar Nadadores. Um Processo a Longo Prazo é um contributo importante para a qualificação necessária dos treinadores portugueses e, nesta perspectiva, de «leitura obrigatória». Num trajecto delineado com rigor, o autor percorre temas de pedagogia e metodologia do treino desportivo, inserindo a explanação das melhores práticas numa contextualização psicológica e social de grande impacte. Não descurando a apresentação nua e crua dos riscos e desvios inerentes à actividade do treino desportivo em jovens, o autor nunca subordina os valores humanos e educativos que fazem do desporto um ganho civilizacional ao sucesso desportivo, efémero e quantas vezes de memória amarga.
Neste âmbito, realça-se a importância concedida ao tratamento, tantas vezes descurado em textos afins, do papel dos pais na carreira desportiva dos jovens e da figura do treinador como mediador entre os sonhos e ambições de cada atleta em formação e a sua concretização, realista e devidamente relativizada.
É um verdadeiro «manual» do treino de nadadores que temos, então, na nossa presença. Obra mutifacetada mas que desce ao detalhe quando necessário, não deixará de ser considerada por todos quantos a consultem, ou que em simultâneo passem grande parte do seu dia no cais da piscina, como um instrumento de consulta indispensável.

Índice de conteúdos
Primeira parte
Temas da pedagogia do desporto

1 — Os pais no desporto
1. 1. Introdução
1. 2. A família e o desporto
1. 3. A família nos resultados desportivos
1. 4. Os pais — Como vêem os filhos no desporto?
1. 5. Os filhos — Como vêem a família no desporto?
1. 6. Por que se zangam os pais?

2 — O treinador
2. 1. Introdução
2. 2. O importante papel do treinador
2. 3. Quem são os treinadores?
2. 4. As motivações para ser treinador
2. 5. Ser treinador de jovens
2. 6. A atitude do treinador
2. 7. A participação nas competições
2. 8. As grandes tarefas do treinador
2. 9. Que saber?
2. 10. A avaliação do treinador

Segunda parte
Temas da metodologia do treino

3 — O treino dos jovens no mundo contemporâneo
3. 1. Introdução
3. 2. O que se entende por treino infanto-juvenil
3. 3. O treino infanto-juvenil
3. 4. O treino dos jovens
3. 5. Benefícios e riscos do treino infanto-juvenil
3. 6. Os benefícios da prática desportiva
3. 6. 1. Os benefícios de ordem biológica
3. 6. 2. Os benefícios desportivos e psicossociais
3. 7. Os riscos da prática desportiva
3. 8. Conclusão

Terceira parte
Formação a longo prazo

4 — Os modelos de desenvolvimento desportivo
4. 1. O sistema da «pirâmide»
4. 2. O sistema «selectivo»

5 — Critérios da organização do plano a longo prazo
5. 1. As fases sensíveis e a treinabilidade das capacidades motoras
5. 2. A treinabilidade das capacidades motoras e coordenativas segundo as idades
5. 2. 1. As capacidades motoras
5. 3. As idades mais favoráveis à obtenção dos resultados desportivos
5. 3. 1. A zona etária do inicio do processo de treino
5. 3. 2. A zona etária dos primeiros grandes resultados.
5. 3. 3. A zona etária dos resultados óptimos
5. 3. 4. A zona etária de manutenção dos altos resultados
5. 4. A evolução do rendimento ao longo da carreira do nadador
5. 4. 1. Importância social do resultado
5. 4. 2. Êxito e rendimento desportivo
5. 4. 3. A evolução do rendimento como expressão das adaptações motoras, orgânicas e funcionais
5. 4. 3. 1. A evolução do rendimento
5. 4. 3. 2. A progressão da carga
5. 5. Características do nadador
5. 5. 1. O porquê das diferenças
5. 5. 2. A herança genética
5. 5. 3. Características dos diferentes tipos fibras
5. 5. 4. As transformações
5. 5. 5. A distribuição dos diferentes tipos de fibras nos nadadores
5. 5. 6. Organização dos grupos
5. 5. 6. 1. O perfil psicológico
5. 5. 6. 2. Indicadores comportamentais
5. 5. 6. 3. Indicadores resultantes das tarefas
5. 5. 6. 4. O teste de impulsão vertical
5. 5. 6. 5. Interpretação dos dados
5. 6. A formação e especialização técnica
5. 6. 1. A formação técnica
5. 6. 2. A especialização
5. 6. 3. A tendência natural do nadador
5. 6. 4. Caracterização dos modelos em natação por especialidade e distâncias
5. 6. 4. 1. Nadadores de 50 e 100 livres
5. 6. 4. 2. Nadadores de 800 e 1500 livres
5. 6. 4. 3. Nadadores dos 200 e 400 livres
5. 6. 4. 4. Nadadores de 50, 100 e 200 costas
5. 6. 4. 5. Nadadores de 50, 100 e 200 mariposa
5. 6. 4. 6. Nadadores de 50, 100 e 200 bruços
5. 6. 4. 7. Nadador de 100, 200 e 400 estilos
5. 6. 5. A orientação dos nadadores
5. 7. Caracterização da natação
5. 7. 1. As distâncias oficiais
5. 7. 2. Da competição à fisiologia
5. 7. 3. Características fisiológicas específicas da natação
5. 7. 3. 1. A estrutura fisiológica nas provas de 1500 metros
5. 7. 3. 2. A estrutura fisiológica nas provas de 200 e 400 metros
5. 7. 3. 3. A estrutura fisiológica nas provas de 50 e 100 metros
5. 7. 4. As capacidades motoras e a sua participação nas várias distâncias.

6 — Organização do plano a longo prazo
6. 1. A etapa de formação de base
6. 1. 1. Unidade preparação/selacção
6. 1. 2. Aplicação à natação
6. 1. 2. 1. Conceitos específicos
6. 1. 2. 2. Objectivos pedagógicos
6. 1. 2. 3. Métodos de treino
6. 2. A etapa do treino de base
6. 2. 1. A fase preparatória
6. 2. 2. A fase de construção
6. 2. 3. Unidade preparação/selecção
6. 2. 4. Aplicação à natação
6. 2. 4. 1. Conceitos específicos
6. 2. 4. 2. Objectivos de treino
6. 2. 4. 3. Objectivos específicos
6. 2. 4. 4. Métodos de treino
6. 3. A etapa de especialização
6. 3. 1. Orientação do trabalho
6. 3. 2. Início da especialização
6. 3. 3. Treino intensivo de alta especialização
6. 3. 3. 1. A unidade preparação/selecção
6. 3. 3. 2. Aplicação à natação
6. 3. 3. 2. 1. Conceitos específicos
6. 3. 3. 2. 2. Objectivos de treino
6. 3. 3. 2. 3. Métodos de treino
6. 4. A etapa do alto rendimento
6. 5. A etapa de manutenção dos resultados
6. 6. A etapa do destreino e abandono

Bibliografia…

Preparación física de tenis

Otras colaboraciones