800 007 970 (Gratuito para españa)
658 598 996
·WhatsApp·

29 mar 2007

“Living the body” Project: motor experience with gifted children

/
Enviado por
/
Comentarios0
/
Etiquetas, ,
Literature does not present agreement concerning the gifted people concept. However, in accordance with Mountain (2004), several are the authors who study this special need. In our motor development project “Living the Body” children identified with gifted characteristics attend a class named “Different Saturdays”.
Autor(es):Monteiro, Inês*; Silva, Olinda; Silva, Adília; Vasconcelos, Olga; Botelho, M.
Entidades(es): Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Portugal
Congreso: III Congreso Nacional Ciencias del Deporte
Pontevedra- 29-31 de Marzo de 2007
ISBN: 84-978-84-611-6031-0
Palabras claves: gifted children, physical activity, socio-emotional development

Abstract “Living the body” Project

Literature does not present agreement concerning the gifted people concept. However, in accordance with Mountain (2004), several are the authors who study this special need. In our motor development project “Living the Body” children identified with gifted characteristics attend a class named “Different Saturdays”. This class is under the responsibility of the Portuguese Association of Gifted Children, working in partnership with the Superior School of Education Paula Frassinetti and with the Faculty of Sports - Porto University (FADEUP). The activities occurred in the last Saturday of each month being carried out in the FADEUP installations. The group comprises fourteen children, between nine and fourteen years old (eight boys; six girls). The program includes sport games, swimming, riding and outdoor activities. All this motor activities pretend to develop motor coordination, strength, velocity and endurance. At the same time we pretend to develop social, cognitive and emotional components. In all the activities is registered the assiduity, motor engagement, motor behaviour and children’s pleasure, in order to be used later for a final evaluation. Throughout the program we have observed good results according to the levels of physical fitness, motor coordination, as well as positive development of the social, cognitive and emotional components.

Completa la información

Contenido disponible en el CD Colección Congresos nº3.

¡Consíguelo aquí!

Introdução

A literatura não apresenta concordância acerca do conceito de sobredotação. No entanto, de acordo com Serra (2004), vários são os autores que se preocupam e estudam esta necessidade especial. Gardner (1985), na sua teoria das Inteligências Múltiplas, considera a mente humana multifacetada, possuindo inteligências distintas, designadamente lógico-matemática, linguística, espacial, musical, corporal-cinestésica, interpessoal, intrapessoal e naturalista. No projecto de enriquecimento motor “Viver o Corpo”, os alunos identificados como possuidores de características de sobredotação estão inscritos no programa de desenvolvimento pessoal e social “Sábados Diferentes”, da Associação Portuguesa de Crianças Sobredotadas (APCS). Esta associação trabalha em parceria com a Escola Superior de Educação Paula Frassinetti e com a Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP). Este programa, iniciado no ano de 1995/96, tem vindo, gradualmente, a adaptar-se às características específicas desta população apresentandose, actualmente, sob a forma de jogos desportivos e actividades de recreação.

OBJECTIVOS

Pretendemos dar a conhecer o programa “Viver o Corpo”, no sentido em que este tem contribuído para uma maior sociabilização, interiorização de regras e um maior desenvolvimento motor, através dos jogos desportivos e actividades de recreação nos indivíduos que apresentam características de sobredotação.

METODOLOGIA

As actividades decorrem no último sábado de cada mês (Outubro a Junho) e são realizadas nas instalações da FADEUP ou em instalações exteriores previamente definidas no programa. No presente ano lectivo (2006/07) os conteúdos das nossas actividades visaram áreas como a aprendizagem motora, natação, equitação, jogos desportivos colectivos, orientação, actividades radicais, jogos desportivos tradicionais e actividades de academia. O grupo é constituído por catorze alunos, com idades compreendidas entre os nove e os catorze anos, sendo que oito são do sexo masculino e seis do sexo feminino. Em todas as actividades é efectuada uma observação e registo dos comportamentos de assiduidade, prestação motora, empenhamento, comportamento e satisfação. Estes registos são utilizados para uma avaliação final sobre a evolução individual e de grupo, de forma a melhorar, cada vez mais, a nossa intervenção nos domínios motor, afectivo, cognitivo e social.

RESULTADOS

No geral, as crianças deste grupo têm vindo a desenvolver de uma forma bastante positiva as suas competências motoras, no sentido de melhorarem as suas capacidades e de, com base nestas, aprenderem novas e mais refinadas habilidades motoras. Estas crianças são muito activas e com limites de fixação de atenção muito curtos, que têm vindo a aumentar progressivamente ao longo das sessões. O seu comportamento, no início da aula, é caracterizado por movimentos impetuosos que, no decorrer desta, se vão reduzindo a um volume próximo do normal. Uma das expressões desta alegria transbordante traduz-se num entusiasmo pelos jogos desportivos colectivos. Neste domínio, as crianças sobredotadas têm aprendido e ou desenvolvido as habilidades motoras características das várias modalidades, assim como os factores de eficácia no processamento da informação: velocidade de reacção simples, complexa, antecipaçãocoincidência, memória e atenção. Estes factores permitem-lhes rentabilizar as habilidades técnicas no contexto do jogo. Paralelamente, é implementado um trabalho ao nível das componentes sócio-afectivas (e.g. respeito pelas regras, relações entre o grupo, relações com o adversário) e cognitivas (e.g. razão para a existência de determinada regra, razões pelas quais um movimento é mais eficaz quando efectuado de determinada forma e não de outra, qual a melhor solução para uma determinada situação). Também é estimulado o pensamento criativo, no sentido de imaginar novos movimentos que o corpo pode realizar, soluções originais para além das já conhecidas na resolução de uma tarefa motora ou de uma situação, procurar a explicação para uma questão concreta sem ouvir a resposta imediata por parte da professora ou ainda pensar em novas estratégias para aplicar nos jogos desportivos colectivos. As capacidades de coordenação destas crianças estão em fase de desenvolvimento notando-se uma melhoria gradual da coordenação neuro-muscular, com especial relevo para a coordenação óculo-manual. Através do programa, temos vindo a notar que o movimento corporal se vai tornando mais rítmico e mais harmonioso e que ocorrem melhorias ao nível da consciencialização da postura própria e da dos outros. Para isto têm contribuído, de algum modo, os momentos de ginástica aeróbia que, apesar de não serem do imediato agrado de todos, vão tendo uma adesão cada vez mais participativa. Pelas características destas crianças ocorrem frequentemente discussões no seio do grupo, que têm vindo a reduzir a sua frequência. Nas actividades, como seria de esperar, são também atentas a pormenores significativos e curiosos, gostando de inquirir as razões pelas quais se realizam de determinadas formas as técnicas desportivas. Nos jogos e competições são muito competitivas e não gostam de perder, expressando por vezes alguma dificuldade em lidar com a derrota. Embora tenham diminuído estes comportamentos, verificamos que as crianças deste grupo são temperamentais, ciumentas e desejosas de prestígio, apreciando o elogio oportuno. Demonstram um sentido de justiça muito crítico e, apesar de alguma dificuldade em acatar regras, demonstram interesse na sua elaboração e consequente cumprimento, sobretudo se forem elas a criá-las, como por vezes acontece quando as estimulamos nesse sentido No que respeita às relações entre os sexos, estas crianças apreciam a rivalidade e os jogos de grupo de um sexo contra o outro. Algumas raparigas gostam de jogar com os rapazes mas não se interessam por eles, pessoalmente. Os rapazes, na sua maioria, exprimem desinteresse ou aversão pelas raparigas. Pela análise das observações e dos registos dos anos anteriores, bem como do ano actual, podemos considerar que o gosto pelos jogos desportivos e actividades de recreação por parte das crianças e adolescentes sobredotados tem vindo a aumentar. É de salientar, igualmente, que as informações dadas pelos pais e encarregados de educação, quanto à efectividade do programa, têm sido muito positivas.

CONCLUSÕES

Podemos concluir que programas desta natureza contribuem não só para o desenvolvimento do gosto pela actividade física, em todas as suas dimensões, como também para o desenvolvimento de certas competências afectivas e sociais que possam, eventualmente, estar menos desenvolvidas nesta população. O programa tem demonstrado bons resultados ao nível do desenvolvimento, nestes indivíduos, dos comportamentos motores, nomeadamente ao nível da aptidão física e da coordenação motora. Os comportamentos sócio-afectivos têm demonstrado também um desenvolvimento positivo, sendo a predisposição para as actividades propostas e a interacção entre todos os alunos, nessas actividades, uma constante.

Bibliografía

  • Gardner, H. (1998). Inteligência: Múltiplas Perspectivas. Artmed.
  • Serra, H. (2004). O aluno sobredotado. A criança sobredotada. V. N. Gaia: Gailivro.

Responder

Otras colaboraciones